Posted in:

Network: 9 regras valiosas para construir uma boa rede de relacionamento

Imagem 20 - Networl 9 dicas para construir uma boa rede de relacionamento
Network: 9 regras valiosas para construir uma boa rede de relacionamento
Este texto te ajudou?

Você sabe o que é network e entende como construir uma rede de relacionamentos pode ser eficaz para o negócio?

Se a resposta for negativa, talvez seja essa a razão para estar perdendo boas oportunidades de fazer a sua empresa crescer.

Não importa se você está empregado, à procura de trabalho ou se já é dono do próprio negócio.

Todo profissional deve fazer network sempre.

E se quer saber o porquê disso, está no lugar certo.

Neste artigo, vou explicar o conceito de network.

E dar dicas para montar a sua estratégia, aproximando-se de novos e promissores contatos para a sua empresa.

Eu lhe asseguro que, ao chegar ao final da leitura, estará mais bem informado e pronto para expandir a sua rede de relacionamento.

Não apenas pela construção da sua, mas também pela manutenção dela.

Será o networking a ponte para o seu sucesso?


Quer receber as
melhores dicas de gestão
para o crescimento do seu negócio?

Aposte nessa ideia e cresça como empreendedor a partir dela

O que é network?

Imagem 2 - Network 9 dicas para construir uma boa rede de relacionamento
Como anda sua rede de relacionamento? Tem usado seu tempo para cultivá-la? Saiba que o network é algo muito importante para seu negócio!

Se você procurar o termo network em um dicionário de língua inglesa, vai descobrir que significa “rede”.

No entanto, a palavra não se refere a uma rede física, mas às redes “abstratas”, aquelas formadas por conexões de diversos pontos.

Todo tipo de interação social pode ser considerada uma forma de network.

E o segredo é não interrompê-la ou deixá-la morrer.

Manter contato é fundamental para construir e preservar essa rede de relacionamentos.

Por suas características, todo network pode ser considerado uma troca valiosa para ambas as partes.

Mesmo que uma delas tenha mais ou menos experiência e tempo de mercado, em especial quando falamos de negócios.

No âmbito empresarial, o network proporciona a construção de uma rede de contatos.

Com o objetivo de criar novas oportunidades para crescimento do negócio ou de parcerias, por exemplo.

Nessa estratégia, seus contatos são como recursos sociais.

Você pode obter a partir deles apoio com produtos e serviços, inclusive no desenvolvimento e na oferta garantir acesso a novos mercados e clientes.

Enfim, encontrar soluções que efetivamente contribuam para o sucesso e longevidade da empresa.

Parece bom, não é mesmo?

E realmente é, especialmente ao analisar todas as vantagens do network para empreendedores, como veremos a seguir.

Quais as vantagens do network para empreendedores?

Imagem 3 - Network 9 dicas para construir uma boa rede de relacionamento
Aumentar as vendas e, consequentemente, seu lucro são dois dos muitos benefícios que network pode oferecer a você!

Uma grande empresa possui um banco de dados proporcional ao seu tamanho, incluindo aí currículos de possíveis colaboradores e contatos de fornecedores.

Esse tipo de organização não se limita ao plano A ou B.

Afinal, se chegar ao topo é difícil, manter-se lá pode ser uma missão impossível ao enfrentar o mercado solitariamente.

Mas por que estou falando de grandes empresas se você tem um negócio de pequeno porte, é um microempresário ou talvez um MEI, microempreendedor individual?

A questão é que você pode, e deve, aprender com os maiores.

Assim como eles, também precisa de contatos, uma rede de talentos ou de parceiros com a qual contar.

Para se manter, é preciso que o empreendedor aprenda e se dedique ao network.

Parece claro, mas não custa repetir o óbvio: uma rede de contatos maior representa mais oportunidades para fazer seu negócio crescer.

E esse crescimento pode se materializar no aumento das vendas.

Associando-se a empreendedores ou abrindo filiais em outras cidades, por exemplo.

Para confirmar, vou citar três informações arrebatadoras sobre o network e sua importância:

  • 76% dos empreendedores buscam fornecedores na sua rede de amigos
  • 78% preferem e confiam em fornecedores da sua relação de amizade
  • 68% trocam informações de negócios na sua rede de amizade.

Esses dados foram obtidos pelo consultor e administrador Claudio Diogo, pós-graduado em Marketing e Propaganda.

Em pesquisa que ele próprio realizou com 200 executivos em sete capitais brasileiras.

Diogo falou sobre esse levantamento em entrevista ao portal do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná (Sebrae-PR).

Ele também comentou que os empreendedores acham natural que isso aconteça e não veem problemas em usar o networking para selecionar fornecedores.

Por tudo isso, fica muito claro que o network é valioso tanto para quem trabalha com produtos quanto para quem presta serviços.

Não importa a atividade desenvolvida, os benefícios de uma estratégia bem construída são evidentes.

É também uma ótima forma de se conectar aos seus concorrentes diretos.

Não, você não leu errado.

Falei mesmo na concorrência.

Obviamente, o objetivo do network com esse grupo não envolve espionagem, mas a construção de outros tipos de parcerias.

Compartilhar boas práticas é opção, unir-se em compras coletivas é outra.

Assim como reivindicar em conjunto por demandas que atinjam a todos do mesmo segmento de mercado.

Isso sem falar que se conectar com pessoas da sua área de atuação e trocar ideias com elas ajuda a se manter atualizado e pronto para enfrentar os novos desafios do mercado.

Agora que já sabe que o network pode realmente ajudar o seu negócio, é hora de entender mais sobre o seu funcionamento.

Vou tratar sobre isso no próximo tópico.

Entenda os 3 níveis do network

Imagem 4 - Network 9 dicas para construir uma boa rede de relacionamento
Para saber como cuidar do seu network, é importante que você entenda em qual nível está a sua rede de relacionamentos.

A formação de uma rede de relacionamento, nas características do network, tem pelo menos três níveis.

Em cada um deles, estão posicionados novos membros, que variam conforme a proximidade de você ou da importância que eles exercem.

Vamos entender melhor?

Rede primária

É formada por pessoas próximas, com quem você convive quase que diariamente.

Você tem com elas uma forte conexão e que não é somente profissional, mas também emocional.

Assim, é mais provável que compartilhe seus sonhos e ambições com essas pessoas, e também não pense muito antes de ajudá-las ou de se associar a elas.

Amigos e familiares se posicionam aqui.

Rede secundária

É formada por pessoas com as quais você tem relações mais formais e menos íntimas.

Há uma conexão pontual com elas, como através de características em comum que podem incluir crenças, ocupação e objetivos profissionais.

São exemplos dessa rede os seus colegas de trabalho e outros trabalhadores da mesma área.

Rede de referência

É exatamente o tipo de rede que fornece referências de comportamento.

Podem estar nela pessoas específicas, mas é mais comum encontrar ali grupos quase abstratos, que moldam a sua maneira de ser, pensar e agir.

Quando falamos de network, seus chefes, colaboradores, fornecedores e funcionários se encaixam nesta rede.

9 regras valiosas para você construir um bom network

Chegou a hora de passar para a ação e começar a montar a sua rede de interações.

Para isso, vou trazer agora uma espécie de passo a passo.

É só observar as etapas e traçar o seu planejamento para aplicá-las.

1. Tenha um objetivo claro antes mesmo de começar o network

Mesmo que seja um objetivo mais geral, ainda um pouco nebuloso em meio a dúvidas, esse é o primeiro passo.

Não entre em contato com todos que encontrar.

Procure pessoas da sua área de trabalho, que possam lhe apresentar a outras do mesmo nicho.

Tente também se conectar com grandes nomes de referência.

Eles podem se tornar suas fontes de inspiração e até mesmo mentores.

2. Saiba se vender

Ninguém quer perder um tempo precioso se relacionando com pessoas que não valem a pena e que não vão acrescentar nada na vida delas.

Pode soar como um fato rude, mas é uma realidade do cenário profissional.

Uma dica de extrema importância ao se vender é atingir o meio-termo.

Isso significa não ser nem chato, nem tímido demais.

A boa comunicação é a chave.

Ensaiar antes o que você vai falar ao se apresentar pode ser uma boa ideia, desde que isso não faça sua fala soar artificial.

Além disso, é importante conhecer um pouco de linguagem corporal.

“Ler” as dicas que as pessoas dão quando estão ficando aborrecidas e, assim, saber quando mudar de assunto ou tentar uma nova abordagem.

O verbo “vender”, obviamente, está aqui no sentido em que é aplicado na expressão popular “vender seu peixe”.

Cause primeiro uma boa impressão para que se lembrem de você.

E pense em vender de fato seus produtos ou serviços apenas em um segundo momento.

3. Esteja disposto a aprender sempre

O crescimento profissional é, em parte, gerado pelo que você aprende com seus contatos.

Mesmo os maiores especialistas continuam aprendendo todos os dias, na maioria das vezes com pessoas em posições inferiores às suas.

Todos estão diante das possibilidades de aprender e de ensinar.

Uma forma de mostrar sua disposição para agregar conhecimento é sendo atencioso.

Olhe nos olhos do interlocutor, faça um esforço para se lembrar do nome dele.

Se preciso, peça para ele repetir alguma informação que lhe escapou.

Ao contrário do que você pode imaginar, pedir para que uma pessoa repita a fala não demonstra que estava distraído, mas sim que está interessado.

Se for preciso, tome notas!

4. Estabeleça uma rotina

Mesmo que isso signifique sair da sua zona de conforto – o que, aliás, é algo muito positivo -, você deve se forçar a promover novos contatos de tempos em tempos.

Isso significa se programar para ir a eventos, congressos e feiras de produtos.

Quanto à periodicidade, não há regras.