Posted in:

Marketing multinível: como esse negócio pode mudar sua vida

Imagem - Marketing multinível como esse negócio pode mudar sua vida
Marketing multinível: como esse negócio pode mudar sua vida
4.5 (90%) 2 votes

O que você sabe sobre marketing multinível?

Ainda que o assunto interesse bastante, é possível que tenha mais dúvidas do que respostas.

Mas não se preocupe se for assim: neste artigo, você vai ficar por dentro de tudo o que há para saber sobre o MMN.

E o marketing multinível? Ah, aquele esquema de pirâmide?

Até bem pouco tempo atrás, a discussão sobre a atividade era limitada a essa comparação.

Afinal, em todos os cantos do Brasil, o assunto era uma empresa que usava o nome do marketing multinível para sustentar uma operação que tinha todos os requisitos para se encaixar como pirâmide.

Mas como tudo na vida, foi preciso separar o joio do trigo.

E o MMN superou, prosperou e hoje conta com ícones que representam o seu sucesso no país.

Marcas gigantes como Polishop, Natura, Herbalife e Mary Kay são bons exemplos.

O êxito se traduz em números.


Empreendedores alcançaram o sucesso em seus
negócios com a ajuda da conta.MOBI. Faça como eles.

Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), cerca de 5 milhões de brasileiros atuam em empresas de marketing multinível, também conhecido como marketing de rede.

Mas, afinal, o que é marketing multinível, como funciona e qual legislação regula a prática no país?

Esses temas serão abordados ao longo deste artigo, que destacará ainda empresas de marketing multinível no Brasil e em outros países.

Ao final, pretendemos responder de forma clara se o MMN vale ou não a pena.

Com todas essas informações, ficará fácil concluir como esse negócio pode mudar sua vida.

Vamos descobrir mais?

O que é o marketing multinível?

Imagem 1 - Marketing multinível como esse negócio pode mudar sua vida
Marketing Multinível nada mais é que uma rede de vendedores que comercializam produtos e/ou serviços.

Hoje em dia muito se fala sobre marketing de conteúdo ou dados e sobre marketing multinível, que é  um tipo de venda direta.

Por meio dele são comercializados bens e serviços a partir do contato pessoal entre revendedores e clientes, fora de um espaço comercial.

Outra característica do modelo está na criação de uma rede de vendedores, recrutando novos participantes, de forma a aumentar o número de clientes e o faturamento.

Quanto mais a pessoa vende e maior for a sua rede de vendedores independentes, mais bonificações ela recebe.

Tal peculiaridade se reflete na remuneração de revendedores. Esse fato torna o segmento bastante atrativo.

Para entender melhor o conceito, vale conferir este vídeo.

A legislação do MMN no Brasil

Se você quer se juntar aos milhões de brasileiros que trabalham com marketing multinível atualmente, fique tranquilo: a atividade não é proibida no país.

O que acontece é que também não há nenhuma legislação regulamentando o MMN.

Diante da ausência de normatização específica, todas as empresas do setor se sujeitam às regras previstas no ordenamento jurídico brasileiro para os negócios em geral.

Isso significa, conforme esclarece a ABEVD em seu site, que os trabalhadores de uma rede multinível estão sujeitos à retenção na fonte do Imposto de Renda.

Devendo também contribuir com a Previdência Social, no caso de pessoa física.

Em 2014, o Projeto de Lei 6.170/13 foi proposto após trabalho desenvolvido pela subcomissão especial da Câmara dos Deputados.

Ligada à Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio.

A proposta tem por objetivo regulamentar o marketing multinível no Brasil, mas não teve nenhum movimento desde fevereiro de 2015.

É válido observar, porém, que as práticas piramidais encontram legislação impeditiva.

A principal delas é a Lei Federal 1.521, de 1951, que classifica a prática como crime contra a economia popular.

Já o Código Penal veda a comercialização ao penalizar fraudes ou vantagens ilícitas, incluindo os sistemas piramidais ou correntes de felicidade.

Curiosidade: a origem do nome marketing multinível

Para compreender a origem do nome marketing multinível, é precisa analisar as duas palavras separadamente.

No caso de marketing, a proposta é a de divulgar uma marca e atrair clientes para ela, o que é obtido a partir do contato direto entre revendedores e o público em geral.

Em empresas que atuam no MMN, a estratégia utilizada é o popular boca a boca.

Já o multinível remete à característica de bonificação de revendedores, que são divididos em níveis, conforme estruturam a sua rede.

Além da venda direta, ao indicar novas pessoas para se juntarem ao time, elas ficam em seu primeiro nível de vendas.

Assim, sempre que comercializam um produto ou serviço, geram bônus ao revendedor que fez o convite inicial.

No segundo nível, estará o indicado pelo seu indicado, e assim sucessivamente.

Resumindo: o nome de marketing multinível se refere a uma estratégia de marketing executada em uma rede formada por diferentes níveis.

Como funciona o negócio?

Imagem 3 - Marketing multinível como esse negócio pode mudar sua vida
Pense no marketing multinível como uma venda porta a porta. Você não vai encontrar os produtos dessas empresas em lojas físicas. E por isso, eles terão um melhor preço.

Você não encontra os produtos de uma empresa de marketing multinível em lojas de varejo ou atacado, exceto se for um estabelecimento da própria marca.

Em vez disso, ela opta por distribuir seus itens a partir de uma rede de vendedores independentes.

É como se você confeccionasse meias, mas não vendesse o produto em nenhuma loja de vestuário.

Ou fabricasse bijuterias, mas elas não fossem encontradas em lojas de acessórios femininos.

Sem intermediários, exceto os próprios revendedores, o produto chega ao consumidor final com um custo geralmente mais baixo.

Essa é uma das características que ajudam no sucesso do negócio.

Mas os benefícios do modelo, é claro, não se aplicam apenas às empresas.

E quem trabalha na linha de frente das vendas pode ter uma boa fonte de renda.

Como já comentado, no marketing multinível, são duas as formas de remuneração dos revendedores.

De um lado, há sempre um produto ou serviço a ser comercializado.

De outro, ganha-se bônus pelas vendas realizadas pelas pessoas indicadas – e também quando o negócio é feito por alguém que entrou na rede por meio da pessoa que convidou.

Caso tenha parecido confuso, vamos tentar esclarecer usando nomes fictícios:

  • Caio ingressou em uma empresa de MMN que vende cosméticos, sendo indicado por Paulo
  • Então, Caio fez a sua primeira venda, gerou remuneração para ele e um bônus para Paulo
  • Animado, Caio indicou Ana para se juntar à sua rede
  • Assim que Ana começou a comercializar os produtos, Caio e Paulo receberam bônus pelas vendas dela
  • Então, Ana indicou Gabriela, que não perdeu tempo e saiu vendendo e formando a sua rede
  • As vendas de Gabriela geraram bônus para Ana, Caio e Paulo.

Ficou mais fácil entender agora?

No exemplo, todos que forem indicados por Gabriela e efetuarem vendas irão gerar bônus para aqueles que estão nos níveis acima.

Mas todos receberão a mesma quantia de bônus?

Não, pois a remuneração depende da proximidade do vendedor de você na rede que constitui.

Por exemplo, no caso de Paulo, Caio representa o primeiro nível de sua rede, imediatamente abaixo dele, que fez a indicação.

Assim, Ana vem em um segundo nível e, Gabriela, em um terceiro.

Interessante destacar que, ainda que haja ganhos para Paulo e os demais mesmo se nada venderem, não compensa criar uma rede manter-se inativo.

A comercialização direta dos produtos pelo vendedor é que fará a sua remuneração mensal crescer.

É por isso que pessoas que entraram no negócio depois de você podem faturar muito mais. Tudo depende do sucesso delas com as vendas.

Quem pode participar do marketing multinível no país?

Imagem 4 - Marketing multinível como esse negócio pode mudar sua vida
Apesar de não ser exigido ao empreendedor MNN ser pessoa jurídica, você pode sair em vantagem caso seja! Como MEI , você pode economizar muito com os impostos e receber seu benefício integral.

As exigências podem variar conforme as empresas, porém como regra básica é preciso ser maior de 18 anos para poder trabalhar com marketing multinível.

Não costuma ser exigida escolaridade, apenas o preenchimento de um cadastro com informações e documentos pessoais, como RG e CPF.

Além disso, apesar de ser um representante, revendedor ou distribuidor da marca, não há necessidade de ter empresa constituída.

Mas pode ser válido se formalizar como microempreendedor individual (MEI) para ter direito a benefícios previdenciários.

Entenda: MMN é diferente do esquema de pirâmide

Você desconfiava que marketing multinível e pirâmide eram a mesma coisa.

Então, chegou a este artigo, leu como o MMN funciona e ficou com um pé atrás quanto às bonificações em rede.

Não se apresse: não é esse tipo de “recompensa” que caracteriza o esquema ilegal.

Veja quais são as principais diferenças entre eles:

O objeto da venda

No MMN: há um produto ou serviço claramente definido e suas vendas são a receita principal da empresa.

Na pirâmide: o produto ou serviço não existe ou não é a fonte principal de receitas da empresa.

As interações

No MMN: os contatos e relações de consumo ocorrem com pessoas fora das redes.

Na pirâmide: as interações se restringem ao ambiente interno e um participante remunera o outro.

A comunicação com a empresa

No MMN: há uma sede física e centrais de atendimento com pessoas reais e um suporte para poder atendê-lo e tirar suas dúvidas.

Na pirâmide: a empresa costuma se direcionar aos participantes do esquema apenas via redes sociais e vídeos motivacionais na internet.

Qualificação dos vendedores

No MMN: há uma série de treinamentos para preparar as equipes e atualizá-los quanto a procedimentos da empresa.

Na pirâmide: não há nenhum tipo de capacitação entre os participantes, apenas encontros de divulgação.

Distribuição dos lucros

No MMN: o pagamento é proporcional às vendas de cada vendedor ou distribuidor e de sua rede.

Na pirâmide: sempre recebe mais quem está no topo da hierarquia.

Possibilidade de crescimento

No MMN: é preciso se qualificar, investir em cursos, na imagem pessoal e na comunicação interpessoal.

Na pirâmide: é preciso recrutar mais e estimular (ou constranger) a rede abaixo de você a fazer o mesmo.

Lucratividade

No MMN: o lucro que o negócio gera é baseado em vendas para o público.

Na pirâmide: o lucro que o negócio gera depende do número de participantes.

Legalidade

No MMN: o modelo não é regulamentado, mas não há proibição expressa na legislação.

Na pirâmide: a legislação considera o esquema de pirâmide como um crime contra a economia popular.

Quer saber mais sobre as diferenças entre marketing multinível e pirâmide? Acesse este vídeo.

Uma volta ao mundo: MMN no Brasil e em outros países

Imagem 6 - Marketing multinível como esse negócio pode mudar sua vida
Sucesso em todo o mundo, o lugar em que MNN mais se destaca e possui adeptos é o EUA.

O berço do marketing multinível no mundo e seu principal expoente até hoje são os Estados Unidos.

As principais empresas do setor foram fundadas lá, como a Amway, que recentemente desbancou a Avon e se tornou a maior do planeta em vendas diretas.

A diferença de faturamento para o Brasil é gigantesca.

Em solo americano, 97% das vendas diretas ocorrem via MMN, o que totaliza mais de 30 bilhões de dólares anuais.

Por aqui, esse percentual é bem inferior e não chega a 10%.

A boa notícia para quem deseja apostar no mercado é que, depois de uma sequência de notícias sobre pirâmides que afetaram o modelo, o crescimento nos últimos três anos foi marcante.

Duplicando os valores envolvidos.

Em parte, os resultados se devem ao fato de o mercado nacional ser mais recente, na comparação com o americano e outros.

Por aqui, grandes empresas chegaram com maior peso na década de 90.

Entre elas, Amway, Herbalife e Mary Kay. Antes, em 1974, a Natura inicia seu sistema de vendas diretas, embora não no modelo do MMN como conhecemos hoje.

Mas não é apenas nos Estados Unidos que o marketing multinível faz bastante sucesso.

Como parâmetro, na década de 70, a Amway já estava em vários países que hoje recebem um importante reforço no Produto Interno Bruto (PIB) a partir da atividade.

Entre eles, Austrália, Malásia, Japão e Inglaterra.

Além da Amway, líder mundial e no mercado americano, vale destacar empresas que mais faturaram em seus continentes no ano passado.

São elas: Vorwerk (Alemanha), Natura (Brasil) e Infinitus (China).

Na América do Sul, excluindo a Natura, três das quatro primeiras posições são ocupadas por empresas peruanas, o que mostra a ascensão do MMN no país vizinho.

5 bons exemplos de empresas de MMN no Brasil

Imagem 8 - Marketing multinível como esse negócio pode mudar sua vida
Os produtos oferecidos por essas empresas são diferenciais para seus sucessos. Mas com certeza, se tornaram bem sucedidas por formarem uma rede de empreendedores valiosa e eficiente.

Quem deseja apostar no marketing multinível no Brasil encontra uma série de empresas.

Neste tópico, falaremos rapidamente sobre cinco delas.

A lista não objetiva apresentar as melhores ou mais rentáveis alternativas de MMN do país, mas mostra marcas que, junto a várias outras, servem de exemplo positivo no setor.

Natura

A companhia brasileira sempre esteve ligada às vendas diretas, mas foi mais recentemente que ela passou a investir no MMN.

Atualmente, é a oitava do mundo em faturamento.

Além do Brasil, está presente em sete países da América Latina e na França.

A Natura é uma empresa do ramo da cosmética.

Ela enfatiza em seus valores uma ligação muito forte com o meio ambiente e a promoção do bem-estar.

Neste vídeo, o presidente da Natura, Alessandro Carlucci, fala do marketing multinível e das oportunidades que ele gera para quem deseja seguir uma carreira empreendedora.

Polishop

A empresa iniciou com a venda de suplementos alimentares e hoje é uma referência mundial.

Está presente em mais de 50 países e tem exclusividade sobre produtos de alta qualidade e de marcas renomadas.

Outro destaque é o seu canal de televisão próprio.

Em 2011, lançou o Polishop.com.vc, dedicada ao marketing multinível.

Além de um treinamento completo aos empreendedores que ingressam no sistema, a empresa oferece suporte por canais variados, sete dias por semana.

Um diferencial é a Universidade Polishop, um programa de desenvolvimento profissional, viagens e incentivos pelo Brasil e o mundo.

Mary Kay

Outra empresa do ramo de cosméticos, especialmente voltada à maquiagem e cuidados com a pele, a Mary Kay foi fundada na década de 60, nos Estados Unidos.

Hoje, é a sexta do mundo em faturamento entre aquelas que atuam no MMN.

Está no Brasil desde 1998, sendo uma das maiores do país no setor.

Seu principal diferencial está no treinamento de vendedoras independentes.

A proposta é que sejam formadas grande líderes, capazes de levar outras à mesma condição.

Quem chega ao posto de Diretora Nacional de Vendas Independente recebe um carro cor de rosa, modelo Cruze ou Captiva.

Herbalife

É impossível falar de marketing multinível e não lembrar da Herbalife, uma das maiores empresas de nutrição do mundo e a terceira em faturamento no MMN no planeta.

O carro chefe são as soluções que buscam o emagrecimento, o que explica seu sucesso no Brasil.

Por aqui, ela começou a atuar em 1995 e produz muito de seus produtos no próprio país.

Seu plano de MMN possui nove níveis, iniciando pelo posto de Distribuidor Independente, já alcançado a partir de um cadastro no site.

Hinode

Empresa genuinamente brasileira, fundada no final dos anos 80, a Hinode atua no mercado de perfumaria, cosméticos e higiene pessoal.

Há 10 formas de remuneração no plano de marketing multinível da empresa, incluindo lucro na revenda, bônus diversos e até viagens e prêmios.

No mais alto posto, o Titan, o revendedor escolhe entre uma Ferrari e uma Lamborghini.

Através da Universidade Hinode, oferece treinamentos presenciais e online, além de material de apoio e acompanhamento de profissionais especializados.

Afinal, MMN é um bom negócio?