Posted in:

Empreendedorismo: 7 passos fundamentais para se tornar um empreendedor de sucesso

Imagem 1 - Empreendedorismo 7 dicas para o sucesso
Empreendedorismo: 7 passos fundamentais para se tornar um empreendedor de sucesso
3 (60%) 2 votes

Você vê o empreendedorismo como uma meta, mas não sabe por onde começar?

Se sente inseguro quando pensa em abrir e administrar seu próprio negócio?

Sem problemas!

Empreendedor algum nasce sabendo todos os truques do mercado e aprender a empreender é muito importante para alcançar o sucesso.

Suas dúvidas só mostram que você está no caminho certo. Vamos aprender mais?

O brasileiro nasceu para empreender

Empreender é algo intrínseco ao brasileiro.

Nada menos que 60% da população sonha em abrir uma empresa, conforme pesquisa do Instituto Endeavor.

Mas entre o sonho e a realidade, muitas vezes reside o medo de não dar certo e até a desconfiança da própria capacidade de enfrentar e vencer o desafio.

Não é raro que surjam dúvidas no seu caminho.

Por isso, tranquilize-se.


Empreendedores alcançaram o sucesso em seus
negócios com a ajuda da conta.MOBI. Faça como eles.

Neste artigo, me proponho a responder muitas de suas dúvidas sobre o que é ser empreendedor.

E quais são os ideais empreendedores que podem conduzi-lo ao êxito.

Também vou apresentar alguns números do empreendedorismo no Brasil e as características de um empreendedor de sucesso.

Sem deixar de explicar o próprio conceito de empreendedorismo.

Afinal, o que é empreendedorismo?

Você vai descobrir nas próximas linhas se existe um perfil do empreendedor que se encaixe bem em todos os negócios.

E se a ideia for começar devagar e se tornar um microempreendedor individual (MEI), vai entender por que o empreendedorismo individual é o que mais cresce no país.

E saberá como o Portal do Empreendedor torna a concretização da sua meta muito mais fácil.

Já adianto o seguinte: inspiração e força de vontade são indispensáveis para qualquer um que se arrisque no desafio do negócio próprio.

E como se informar é também uma necessidade básica para trilhar o melhor caminho, você já está fazendo a coisa certa.

O que é empreendedorismo

Imagem 3 - Empreendedorismo 7 dicas para o sucesso
“Um empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões.” Louis Jacques Filion

O empreendedorismo é um conceito que vai muito além da abertura de uma empresa.

O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) usa a definição do autor Louis Jacques Filion, que diz o seguinte:

“Um empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões.”

Veja que não aparece no conceito nada sobre ter um negócio próprio.

E isso acontece porque, como comentei, o significado de empreendedorismo é muito mais amplo.

Ele se refere a quem tem sonhos e objetivos, se planeja e trabalha duro para transformar tudo em realidade.

Ora, então isso significa que todo mundo é um pouco empreendedor?

Neste sentido da palavra, sim.

Mas há uma razão para o link tradicionalmente estabelecido com o mundo dos negócios.

Isso acontece por causa de um economista austríaco, Joseph A. Schumpeter, que em 1942 usou o termo “empreendedor” para se referir às pessoas que fazem o capitalismo funcionar.

Para o estudioso, empreendedor é aquela pessoa que realiza a “destruição criativa”.

Ou seja: muda os velhos métodos de produção e comercialização para criar novidades valiosas.

E é por isso que até hoje empreendedorismo e inovação andam de mãos dadas.

A definição do Instituto Endeavor para empreendedorismo é unanimidade, porque contém um pouco de tudo no universo dos negócios.

Veja só:

“Empreendedorismo é a disposição para identificar problemas e oportunidades.

E investir recursos e competências na criação de um negócio, projeto ou movimento que seja capaz de alavancar mudanças e gerar impacto positivo.”

Viu só?

Todas as palavras mais comuns que ouvimos quando tratamos de empreendedorismo estão aí:

oportunidades, competências, mudanças, impacto positivo…

Você se identifica com elas?

Como anda o empreendedorismo no Brasil?

Imagem 4- Empreendedorismo 7 dicas para o sucesso
Mesmo com a crise que nosso país vive, o empreendedorismo apresenta número exponenciais.

O empreendedorismo no Brasil vai muito bem, obrigado.

Quer dizer, ao menos em parte.

OK, vamos ser realistas: começamos bem, mas ainda temos muito a melhorar.

Você sabia que o Brasil é o país mais empreendedor do mundo?

Em 2014, o Sebrae divulgou uma pesquisa que revelou que ter seu próprio negócio é o terceiro sonho mais comum entre os brasileiros, atrás apenas de ter casa própria e viajar.

Esse estudo também mostrou que 34,5% dos brasileiros estão envolvidos de alguma forma com o empreendedorismo.

Em 10 anos cerca de 90% dos negócios próprios fecham, neste mesmo período apenas 15% das franquias fecham. Ou seja o risco ainda existe porém ele é bem menor, então considere no seu radar, empreender em franquias.

Isso é muito bom, não é?

É um sinal de que a centelha para empreender existe, embora algumas pedras no meio do caminho por vezes atrapalhem.

Um problema no cenário econômico brasileiro é a falta de inovação, apesar de tão relevante que é para empreender.

Isso acontece por uma série de fatores, mas um em especial é que mais da metade dos brasileiros empreendedores (56%) só abriram um negócio próprio por necessidade.

Isso significa que eles não se prepararam para gerir o negócio, e muito menos foram educados para pensar de maneira empreendedora.

Por isso muitas vezes cometem graves erros facilmente evitáveis

É um fato: a minoria das faculdades têm disciplinas relativas a empreendedorismo.

Mas podemos mudar isso através da criação de uma cultura empreendedora.

Quer saber como?

O que você precisa saber antes de se aventurar como empreendedor?

Imagem 5 - Empreendedorismo 7 dicas para o sucesso
É ambicioso? Tem sede de crescimento e sucesso? Vontade de ser dono de algo seu? Então, você é um forte candidato ao empreendedorismo.

Para ser empreendedor é preciso… empreender!

Muitos empreendedores, em especial os da “velha guarda”, aprenderam por tentativa e erro o que funcionava no ramo em que trabalhavam.

Um problema grande é que a nossa cultura é muitas vezes avessa ao risco.

E um fracasso como empreendedor já é interpretado por muitos como motivo para desistir.

Por isso, ser cauteloso e se preparar bem antes de abrir seu negócio ajuda nas suas chances de sucesso e longevidade no empreendedorismo.

Todo empreendedor precisa saber enxergar as oportunidades, ser proativo, ser criativo e ambicioso.

Algumas dessas características nos acompanham desde o nascimento, enquanto outras podem ser aprendidas.

Ser proativo significa prever as consequências de um ato. Para isso, a recomendação é se preparar com muito estudo.

Uma boa dica é devorar livros para empreendedores.

Mas depois da teoria, não se esqueça de colocar a mão na massa.

E por onde começar?

Você conhece o termo networking? E a importância dessa prática?

Networking se refere a conhecer pessoas e aumentar sua rede de conexões – não apenas na rede social LinkedIn, mas na vida real.

Muitas oportunidades de crescimento vêm exatamente dessas conexões que fazemos e das pessoas para as quais apresentamos nossos projetos.

Por isso, o networking é tão importante.

É através dele que você encontrará parceiros, fornecedores, investidores e, especialmente, clientes para o seu novo negócio.

Entenda o perfil de um empreendedor

Imagem 6 - Empreendedorismo 7 dicas para o sucesso
Mais que conhecimentos técnicos, uma pessoa empreendedora possui algumas características específicas que o direcionam ao sucesso.

De acordo com o Endeavor, que é referência ao traçar o perfil do empreendedor, há alguns traços que todos os empreendedores e candidatos a empreendedor precisam ter.

Entre elas, estão:

  • Autoconfiança
  • Otimismo
  • Coragem para aceitar riscos
  • Vontade de ser reconhecido
  • Resiliência
  • Perseverança.

É interessante destacar ainda que o Endeavor realizou um estudo com 4 mil pessoas no final de 2014 sobre cultura empreendedora e descobriu que existem seis perfis de empreendedor.

Conforme o levantamento, todo empreendedor apresenta um mix de cada um deles.

1. Situacionista

Não é todo dia que uma oportunidade bate à porta.

Para o empreendedor situacionista, a oportunidade bateu, e ele resolveu deixar ela entrar.

Esse empreendedor pode estar insatisfeito com o mercado de trabalho atual.

Talvez esteja desempregado, ou empregado, mas querendo algo mais.

É aí que surge a grande chance e ele resolve agarrar.

Ou melhor, ela: esse é o perfil que abriga mais mulheres.

O empreendedor situacionista vai aprendendo com os acertos e erros, e raramente tem todas as características principais apontadas.

Muitos têm um ou mais de um fracasso e desistem de empreender.

Mas aqueles que obtêm sucesso permanecem por muitos anos no mundo do empreendedorismo.

Esse é o tipo mais comum de empreendedor, mas também o menos otimista e com maior medo de arriscar.

Inovação definitivamente não é com o situacionista.

2. Nato

Esse é o empreendedor mítico que é personagem de filme.

É o menino dos longas norte-americanos que desde cedo quer conquistar seu dinheiro vendendo limonada.

É aquele ídolo do Vale do Silício, que começou em uma garagem e em menos de dez anos construiu um império.

O empreendedor nato é aquele que vê oportunidades de negócios por todos os lados desde cedo.

É aquele que não se desespera com um problema, mas sempre quebra a cabeça até encontrar uma solução – e que seja, de preferência, lucrativa.

Esse perfil é também chamado de “intraempreendedor”.

Pois sempre teve o gene do empreendedorismo no DNA, ainda que ele tenha ficado adormecido durante uma parte da vida.

Quando o empreendedor nato não tem seu próprio negócio, tende a se dedicar de corpo e alma à profissão que escolheu, chegando a cargos de gerência.

Os empreendedores natos são os que assumem mais riscos e têm mais autoconfiança.

Eles também tendem a ser muito curiosos e perfeccionistas.

3. Meu jeito

“Se você quer bem feito, faça você mesmo”:

Se existisse um lema, esse seria o escolhido pelo do empreendedor “meu jeito”.

Ele gosta de seguir seu ritmo, ditar suas próprias regras e tem valores muito fortes, contra os quais não pode lutar.

Isso significa que muitos desses empreendedores abriram seu próprio negócio após se desligarem de alguma empresa.

porque lá dentro viram que teriam de trabalhar seguindo algo no qual não acreditavam.

Crenças e valores significam muito para eles, assim como a autoconfiança e a sensação de que podem fazer tudo de maneira melhor do que a que já está sendo feita.

Por sua aparente rebeldia e incapacidade de cumprir regras, é comum que o empreendedor “meu jeito” escolha profissões liberais ou nas quais possa trabalhar como autônomo.

Muitas mulheres se encaixam também nesse perfil.

4. Em busca do milhão

Ambição é o que move esses empreendedores.

E aqui o termo ambição não se refere a fama ou reconhecimento, apenas ao dinheiro mesmo.

Este tipo de empreendedor é aquele que estabelece metas financeiras precisas e se esforça ao máximo para alcançá-las.

São os jovens que pretendem ganhar o primeiro milhão antes dos 30 anos, e a partir daí só multiplicar a fortuna.

A maioria dos empreendedores nesta categoria tem entre 25 e 34 anos.

5. Idealista

Eles querem mudar o mundo e estão prontos para arregaçar as mangas.

Sim, o lucro é importante para eles, mas mais importante é transformar a vida das pessoas.

Esse perfil de empreendedor tem grandes sonhos e considera muito importante seguir suas crenças e, se possível, espalhá-las pelo mundo.

Por isso, são as pessoas certas para inovar, criar negócios alternativos e alimentar nichos até então ignorados por outros setores da economia.

6. Herdeiro

Ele não necessariamente herdou um negócio lucrativo dos pais, embora isso aconteça em alguns casos dentro desse perfil.

A maioria dos empreendedores herdeiros, na verdade, herdou exemplos e ambições do pai, da mãe ou dos avós.

Nesse perfil, entram as pessoas que viram os pais ou avós terem um sonho empreendedor e nunca o realizarem.

e também as pessoas que aprenderam com as gerações passadas tudo sobre o que eles não queriam para o futuro.

Por exemplo:

um filho de trabalhadores assalariados que, vendo as reclamações e dificuldades dos pais, decidiu que não queria aquela vida para si e decidiu ser dono de seu próprio negócio.

Por isso, o empreendedor herdeiro costuma investir bastante em capacitação.

Afinal, quem herda uma empresa precisa estar preparado para administrá-la.

E quem quer ser dono de uma precisa descobrir tudo sobre seu segmento e sobre como fazer a empresa prosperar.

A maioria desses empreendedores é do sexo masculino, e tem entre 50 e 64 anos.

Empreendedorismo de pequeno porte: por que é o segmento que mais cresce?

Imagem 7 - Empreendedorismo 7 dicas para o sucesso
Pouquíssima burocracia, pagamento de menos impostos, processo de formalização totalmente online… Estes são apenas alguns dos fatores que podemos associar ao crescimento do empreendedorismo de pequeno porte.

Você pode estar em busca de seu primeiro milhão ou ter como objetivo ser dono de filiais em diversas cidades, mas o ideal é começar com um pequeno empreendimento.

E é isso que a maioria dos brasileiros tem feito.

Segundo o Sebrae, são quatro as categorias que se enquadram no conceito de empreendedorismo de pequeno porte:

  • Microempreendedores individuais
  • Microempresas
  • Empresas de pequeno porte
  • Pequenos produtores rurais.

A categoria MEI é um dos destaques em crescimento.

No dia 1º de julho de 2009, os primeiros 25 microempreendedores se formalizaram.

Em 25 de março deste ano, eles somavam 6.772.069.

Ou seja, quase 7 milhões de MEIs espalhados pelo Brasil.

Em um período de 5 anos, desde março de 2013, quando o número de formalizados atingia 2.817.128, o crescimento foi de 140,4%.

Os dados estão disponíveis no Portal do Empreendedor.

Uma pesquisa da revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios revelou que o empreendedorismo de pequeno porte atrai mais as mulheres brasileiras.

Em especial por causa da liberdade criativa e a flexibilidade de horários que empreender proporciona.

Há muitas possíveis explicações para que o empreendedorismo de pequeno porte tenha um crescimento tão expressivo.

Entre elas podemos citar as facilidades para se tornar microempreendedor individual.

A possibilidade de tocar o próprio negócio de casa, a expansão do e-commerce no Brasil e até mesmo a crise econômica.

Afinal, várias pessoas que ficaram sem emprego (e que já somam quase 13 milhões de brasileiros) viram na dificuldade a oportunidade para abrir um negócio próprio.

Vantagens do empreendedorismo de pequeno porte

Imagem 8 - Empreendedorismo 7 dicas para o sucesso
Economia com impostos, benefícios como direito à aposentadoria e a um funcionário, redução de burocracias e muito mais! Sim, ser MEI é ter muitas vantagens a seu favor.

Você deve estar pensando: se o empreendedorismo de pequeno porte cresce tanto, ele deve ser muito vantajoso, não é mesmo?

Sim, há várias vantagens para as pequenas empresas.

A primeira delas é a diminuição da burocracia, o que vem ocorrendo nos últimos anos.

Abrir e gerenciar uma empresa são processos que hoje podem ser realizados pelo computador, o que torna tudo muito mais simples e rápido.

Outro bom exemplo é que, para as pequenas empresas optantes pelo Simples Nacional, os impostos são cobrados todos juntos, em uma única guia.

Enquanto as empresas maiores precisam pagá-los separadamente.

No caso do MEI, os benefícios são ainda maiores, pois ele não paga nenhum imposto federal, nem mesmo o temível Imposto de Renda – ao menos não como pessoa jurídica.

Aliás, você sabia que esse perfil de empresa tem vantagens garantidas por lei em licitações?

Para que possam competir de igual para igual nas licitações, os pequenos negócios podem, por exemplo, vencer concorrências com uma proposta exatamente igual a de uma empresa maior.

Outra das vantagens é que as pequenas empresas têm uma gestão menos complicada.

O MEI, por exemplo, pode ter até um funcionário.

Dessa forma, todas as demandas que envolvem a gestão de pessoas, incluindo aí a folha de pagamento, são infinitamente menores do que numa média ou grande empresa.

O mesmo se aplica à gestão contábil.

O MEI não precisa de contador, embora seja totalmente recomendável que tenha.

Já que não possui conhecimento e nem tempo suficientes para controlar suas finanças e cumprir com suas obrigações acessórias.

Como se tornar um microempreendedor individual